Pr. Paulo Cilas e Prof. Lúcia

Cilas

>> De que maneira podemos crescer espiritualmente como casal?

“Mas, sobretudo, tende ardente amor uns para com os outros; porque o amor cobrirá a multidão de pecados. Sendo hospitaleiros uns para com os outros, sem murmurações, cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus. Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder para todo o sempre. Amém.” I Pedro 4:8-11

O casamento tem uma maneira de revelar pecados, em você mesmo e em seu cônjuge, que você jamais conheceu. A formar de livrar-se do pecado é confessando-o e abandonando-o. Com a confissão, vem o perdão. O perdão é difícil, mas o amor (oferecido por Deus e por você a seu cônjuge) pode varrer esses pecados de forma tão hábil como se retiram os farelos de pão de uma toalha de mesa.

Mas essa passagem bíblica não se concentra no pecado. Movimenta-se, de forma rápida, para o serviço. Deus deu-lhe habilidades que não concedeu a seu cônjuge. Deu também a ele talentos e interesses que você não tem. Tais diferenças podem levar à competição ou à luta pelo poder.

Mas não é assim que acontece o crescimento espiritual. Aprecie suas diferenças; glorifique-se nelas. Pratique, dizendo: “Meu esposo é bom eu…” Então, use suas habilidades para servir aos outros. “para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo” (4:11).

Como você e seu cônjuge podem apreciar as diferenças que têm, em vez de deixar que elas os separem?

>> Casamento em Construção

(Lúcia)

Infelizmente lembro de algumas discussões entre meus pais quando eu era adolescente. Esqueci os motivos das brigas, mas naquelas situações logo pensava se eles iriam se separar. Eu temia pela separação dos meus pais. O divórcio naquele tempo era raro, mas hoje crianças pequenas já vivem em lares separados.

Uma relação não se constrói instantaneamente como um hambúrguer ou como a revelação de um filme, em 60 minutos, ou como a construção de uma casa pré-fabricada em dois meses. É costume em nossos dias conseguir o que se precisa ou deseja, em pouco tempo. Não estamos mais acostumados a trabalhar pacientemente ou a esperar qualquer coisa.

O relacionamento no casamento deve ser uma prioridade. É mais necessária sua dedicação ao seu par do que sua dedicação ao seu filho. Alguém já disse que o maior presente que podemos dar aos nossos filhos é amar o pai deles.

Diante de situações difíceis, a separação não deve ser considerada como solução. Tem que se esgotar todos os recursos. Nem ameace separar-se, pois ameaças não provocam mudanças nas pessoas. Ao contrário, alimentam o temor e transmitem rejeição.

Deus nos deu o exemplo a ser seguido. Ele não disse somente uma vez que nos ama; Ele o afirmou muitas vezes e de muitas maneiras. Seu cônjuge precisa ouvir suas palavras de doação e aceitação, não uma vez ou outra, mas muitas, muitas vezes.

Cada vez que surgir uma dificuldade em seu casamento – um mal-entendido, uma diferença ou choque de vontades – lembre a seu par que você pretende continuar leal a ela ou ele. Dê-lhe a certeza de que sua dedicação não vai mudar. Isso reforçará a necessidade de ambos contornarem as dificuldades no casamento.

Pense agora nos motivos que levaria você a casar-se novamente com seu par e fale ou escreva isso num lindo cartão.

>> Entre em contato com o Pr. Paulo Cilas e Lúcia

Nome:

Email:

Telefone:

Comentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*