É melhor parar

É melhor parar

Quando eu tinha cerca de 10 anos, me lembro de ouvir uma conversa de minha mãe com algumas mulheres. Elas reclamavam de seus filhos. Minha mãe disse que não tinha nenhuma queixa sobre mim, pois eu não lhe dava trabalho. Fez vários elogios sem saber que eu estava ouvindo. Desde então, decidi honrar todos aqueles elogios. Isso me fez bem.

1

Existe uma necessidade no ser humano, que nos acompanha em todas as fases de nossa vida. Desde que somos crianças até nos tornamos adultos. Precisamos nos sentir aceitos pelas pessoas que consideramos importantes. E quando crianças, essa situação é um pouco mais delicada. Se o filho(a) nota que não é respeitado(a) por seus pais, perde a confiança neles. Estes são alguns exemplos de situações de exposição que os filhos detestam:

1. “Meu filho sabe uma piada legal, conta filho.”

2. “Meu filho sabe uma música legal, canta filho.”

3. “Meu filho vai fazer isso para você.”

4. “Meu filho não quer que conte, mas…”

5. “Meu filho usa roupas muito estranhas.”

6. “Meu filho é muito tímido.”

7. “Meu filho não consegue tirar boas notas como seu primo.”

2

Expor a fraqueza do filho ou forçar um voluntariado pode acarretar problemas no relacionamento entre pais e filhos. Essas situações são singulares. As crianças esperam que sejam tratadas particularmente. Quando se perde o respeito do filho(a), os pais, consequentemente, perdem a colaboração, obediência e disposição dele(a). Esses “becos sem saída” podem acarretar problemas de saúde nas crianças. O primeiro passo, evidentemente, é parar com essa atitude, pedir perdão e iniciar uma amizade honesta. Pais que conquistam a confiança dos filhos, ganham grandes amigos, para a vida toda. Lembrando que amigos se defendem e se protegem.

– Cesar Guandalini

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*